De 12 a 14 anos

DE 12 A 14 ANOS

 A faixa etária de 12 a 14 anos é uma fase crítica para a criança: junto com a puberdade que traz enormes mudanças que geram insegurança, ela se sente incompreendida. Vacila entre atitudes para demonstrar que cresceu e a vontade de ainda ser criança. Nesta fase chamamos o ser humano de “pré-adolescente”, que deixa a fase infantil para entrar na complexa fase da adolescência.

Grandes mudanças estão acontecendo tanto no corpo, com a puberdade, como também na alma: autoafirmação, autossegurança, autoestima e autoconfiança são exemplos de sentimentos que precisam ser desenvolvidos nesta idade. O apoio dos pais é importantíssimo e é necessário um grande esforço em amor para entender e orientar a criança nesta fase, que está deixando de ser criança para se tornar um adolescente e caminhar para a vida adulta. Esta é a idade dos questionamentos e das infindáveis dúvidas, tudo parece confuso e sem sentido. A vida não é mais tão simples como era até então: estão crescendo e decisões importantes deverão ser tomadas. Um mundo confuso e sem sentido vem perturbar a mente e atormentar os pensamentos. O pré-adolescente precisa ouvir que tudo vai acabar bem e que ele não está sozinho. Estamos sempre por perto para conversar, ajudar e mostrar o lado bom da vida. Compaixão e compreensão são necessárias para lidar com o pré-adolescente e ajudá-lo a superar esta etapa.

DE 12 A 14 ANOS – O CORPO

Muitas mudanças agora no corpo com a puberdade e o pré-adolescente quer saber o que é normal acontecer:

– o corpo agora não só cresce como se modifica. Esta é a fase da puberdade onde as modificações externas e internas lhes parecem estranhas. Muita paciência e compaixão é o que devemos demonstrar, tranquilizando e explicando como são as transformações que estão ocorrendo com eles, porque e para que estão ocorrendo.

– nesta idade a criança que agora chamamos de pré-adolescente, tem prazer nas atividades físicas e um apetite enorme. As meninas se desenvolvem mais rápido que os meninos ficando mais altas. Depois os meninos dão uma esticada e ultrapassam as meninas em altura. A maturidade emocional é mais lenta nos meninos do que nas meninas já que meninos não são iguais às meninas neste campo. As meninas são mais desenvolvidas no lado emocional e sentimental enquanto que os meninos são mais racionais. Devemos ensinar isso às meninas para que não tenham expectativas utópicas sobre o comportamento dos meninos, que não agirão de forma alguma como elas gostariam que fosse porque os meninos não sentem o que as meninas sentem. Eles são bem diferentes. Se ensinarmos desde esta idade a diferença entre meninas e meninos evitaremos grandes frustrações para as meninas sensíveis e sentimentais.

– o pré-adolescente passa por períodos alternados de energia e grande cansaço e às vezes é chamado de preguiçoso, mas na verdade está realmente cansado. Ele precisa agora desenvolver seu próprio ritmo e descobrir em que horário do dia ou da noite a energia é melhor aproveitada.

– o pré-adolescente é desajeitado, pois os braços e as pernas crescem antes do resto do corpo. Se nossos filhos derrubam tudo que pegam nas mãos, ou esbarram em tudo por onde passam, é porque eles precisam se acostumar com braços e pernas mais compridos. O crescimento agora é rápido.

DE 12 A 14 ANOS – A MENTE

Vamos falar sobre a mente: a capacidade mental agora está quase atingida. O ser humano vai aprender a vida toda, mas o desenvolvimento do cérebro que guarda o raciocínio e armazena informações está quase completo.

– o pré-adolescente quer saber a razão de tudo: é a idade das dúvidas e ele não aceita o que lhe é dito sem saber o porquê. Rejeita igualmente o que não é explicado adequadamente e pensa com seriedade. Porém às vezes toma decisões precipitadas, pois acha que já sabe muita coisa. Não se deve brigar com ele, ele ainda está aprendendo.

– a imaginação nesta fase é bem ativa. O pré-adolescente gosta de aventuras e é pesquisador. Isso é ótimo para começar a descobrir o que vai fazer na vida. É importante incentivar as pesquisas e não dar opiniões sobre o que ele deve gostar ou se interessar. Cada ser humano tem seus próprios gostos e interesses e tem o direito de ser livre para escolher o que mais lhe agrada fazer.

– o pré-adolescente também tem prazer em resolver problemas e fazer experiências para descobrir coisas novas. Nós precisamos orientar em relação ao que pode acontecer e não necessariamente proibir, pois a proibição sem explicações gera bloqueios de iniciativa ou revolta.

 

DE 12 A 14 ANOS – AS EMOÇÕES

Sobre as emoções podemos dizer que: – o pré-adolescente é instável, veemente (forte, intenso) e inconstante. Isso deve ser levado em conta antes de cobrarmos dele comportamentos que ainda não podem ter. O ser humano leva mais de vinte anos para amadurecer emocionalmente e vai depender do apoio que tiver recebido desde a infância. O caminho é amar, respeitando os limites de maturidade do pré-adolescente.

– nesta idade, o pré-adolescente chora ou ri sem razão aparente. Não precisamos nos preocupar com tudo o que dizem, mas apenas dar atenção. Como são instáveis, logo estarão bem de novo e querendo procurar a turma.

– o pré-adolescente é leal à sua turminha. Nada de dramas se ele dá mais importância aos coleguinhas do que aos pais. É só uma questão de autoafirmação e não envolve o que sentem em relação aos pais, a não ser que os pais comecem uma opressão e perseguição. Entrar em conflito com o pré-adolescente é gerar introspecção e depressão se ele for mais tímido, ou rebeldia e desobediência se tiver uma personalidade mais forte. E vão se afastar dos pais opressores e perseguidores e o relacionamento entre eles estará prejudicado para toda a vida. O caminho é respeitar a maturidade da faixa etária.

– o pré-adolescente é extremamente autoconsciente. Ele próprio já exige demais de si mesmo, então muita calma para não sobrecarregar as suas emoções. Muita paciência e diálogo são necessários, se quisermos que permaneçam perto de nós.

– o pré-adolescente não gosta de chamar a atenção para si mesmo. Não devemos falar dele na frente dos coleguinhas. Ele se sente mal e acha que ninguém compreende o que ele está sentindo. Devemos ter muita paciência com o pré-adolescente nesta fase difícil, onde tudo está mudando: ele precisa sair de uma fase infantil para uma fase que caminha para a adolescência.

DE 12 A 14 ANOS – A VONTADE

No que diz respeito à vontade nesta fase: – o pré-adolescente é independente e quer ser considerado como um adulto. Nós sabemos que ele está muito longe de saber o que é ser um adulto, mas nós devemos respeitar esta fase ajudando-o a perceber como são as coisas realmente. Na verdade, a ajuda que podemos dar é de apenas ouvir, porque ele chegará sozinho às conclusões óbvias e assim vai crescer sabendo que teve o direito de fazer suas próprias escolhas sem ter sido jogado de um lado para o outro nas opiniões alheias.

– o pré-adolescente aprecia aqueles que sabem dar liberdade para tomar decisões e também para negá-la dando razões, explicando para que entenda que existem razões e que são para o seu próprio bem. Ele ficará grato a quem lhe ensinar sobre obediência mesmo se às vezes não concordar e espernear contra a ordem. Devemos agir com firmeza, não com gritos e sem agressões. Bons argumentos convencem melhor. Se entrarmos em conflito com eles, eles vão se afastar de nós. O melhor é dar apoio, as vezes com o silêncio e a demonstração de afeto.

DE 12 A 14 ANOS – O RELACIONAMENTO SOCIAL

Em suas relações sociais: – o pré-adolescente que está se autoafirmando enfrentará problemas de ajuste social. Agora misturam-se meninos e meninas. As meninas são mais autoconfiantes, pois se desenvolvem mais rápido. Eles gostam de atividades em grupo em que todos participam e onde ninguém se destaca.

– o senso de humor permanece e fica mais forte agora: eles continuam achando graça em tudo, até em coisas sérias. Esta é uma forma que o ser humano tem para escapar da pressão dos conflitos internos que ainda são complicados para entender nesta idade.

– o pré-adolescente quer se sentir parte integral da turma de amigos: é hora de tomar cuidado com o bullying. Não se deve incentivar o confronto no bullying e sim a estratégia para se sair dele. Se o bullying acontece na escola, o corpo docente deve ser comunicado. O poder dos pais de impor seu autoritarismo também é considerado um bullying, pois trata-se do domínio do suposto mais forte sobre o suposto mais fraco.

– nesta fase não pesa mais a opinião dos pais e sim a da turma. Portanto se os pais quiserem conquistar os filhos e tê-los sempre por perto e felizes, eles terão que agradar os amiguinhos deles e eles vão sentir que os pais se importam com o que é importante pra eles, com o mundo atual deles. Algumas mães são infantis achando que eles não gostam mais delas. É uma fase e vai passar. Dependendo dos pais, os filhos podem se tornar eternos companheiros. Devem ser tratados com carinho e respeito e ensinados a serem responsáveis com a família, sem sufocar ou dar-lhes responsabilidades maiores do que a sua capacidade de entendimento. Podem soltá-los um pouco, mas segurando as rédeas, para que eles sintam que os pais se importam com eles.

DE 12 A 14 ANOS – O ESPÍRITO

O que podemos dizer nesta faixa etária sobre o espírito: – as dúvidas agora são importantes, são dúvidas honestas que o levam a verificar e examinar se o que está sendo ensinado é são e proveitoso. DEUS colocou no jovem esta característica para que se apegue firmemente à verdade e elimine os erros. Mas é um período crítico: se ele ainda não traçou seu caminho de volta a DEUS através de JESUS, vai procurar no mundo a satisfação que ainda não encontrou para preencher o vazio da sua alma. Se já for salvo, vai voltar a analisar tudo o que lhe foi ensinado até agora para escolher o que vai fazer parte da sua vida. Embora a tendência ainda seja de agir por impulso, as decisões são importantíssimas nesta fase. Precisamos motivá-lo a refletir bastante antes de tomar qualquer decisão porque a partir de agora as decisões serão duradouras.

Passada esta fase de 12 a 14 anos, o ser humano entra na adolescência, período em que as confusões da mente ainda persistem. Serão mais alguns anos em que os pais e familiares precisam entender, apoiar e ajudar os jovens a lidar com suas dúvidas e sentimentos.

A seguir, resumimos as características do comportamento do pré-adolescente. Memorize as palavras-chave.

RESUMINDO: o pré-adolescente de 12 a 14 anos é:

Em relação ao corpo: desajeitado

Em relação à mente: criticador

Em relação à vontade: independente

Em relação ao emocional: inseguro

Em relação ao social: sociável

Em relação ao espiritual: desconfiado.

O pré-adolescente de 12 a 14 anos é desajeitado porque no desenvolvimento corporal, os membros crescem mais rápido que o tronco e por isso ele derruba tudo em seu caminho. Ele não faz de propósito, ele apenas precisa se acostumar com o crescimento.

Em sua mente agora ele é criticador: sendo mais sociável e de vontade mais independente, ele está conhecendo o mundo, formando as suas opiniões e criticando aquilo com o qual ele não concorda. Esta é a fase de autoafirmação: o pré-adolescente precisa participar das conversas e aprender a dar as suas opiniões. A sua forma de falar vai depender dos exemplos que ele teve em sua infância e da atenção que recebeu dos mais velhos.

Com tantos desafios a confrontar, o seu emocional ainda é inseguro: ele tem receio de ser mal interpretado e rejeitado. Em seu campo espiritual ele é desconfiado e vai questionar tudo o que aprendeu até agora.

O amor incondicional e a paciência nesta fase permitirão que o ser humano entre na adolescência com uma base emocional mais estruturada, conseguindo enfrentar as dificuldades com mais positivismo e maior segurança.

 

Anúncios

Leave a response and help improve reader response. All your responses matter, so say whatever you want. But please refrain from spamming and shameless plugs, as well as excessive use of vulgar language.

59 Responses to “De 12 a 14 anos”

  1. Giovanna Gasbarro

    concordo com tudo dai, e tenho 12 anos

  2. ANGELA

    nem sei o que dizer mais achei muito util as informações, pois estou com um adolescente que da trabalho e agora lendo essa materia, consegui abrir um mais a mente

  3. ET. Lima

    Muito construtivo, observador, de uma pureza profunda, nos faz retornar ao passado. Tenho um doce e amavél menino com 12 anos e que irei adicionar algumas dicas para complementar um futuro brilhante com Deus em nossos caminhos. Parabéns!

  4. Max Hespanhol

    Parabéns pelo texto. Muito bem escrito e com propriedade. Realmente um desafio educar uma criança nessa época em que nos e contramos. Familia, Respeito, Paciência, Pulso firme, Bom senso…. Eles chegam sem manual de instruções (como nós também chegamos).Temos que educar essa criançada de forma diferente; só assim poderemos ter adultos melhores do que nós! Um caloroso abraço e boa sorte para todos nós.

  5. ANTONIA ROSELIA DA SILVA

    Sensacional!!!
    Amei.

  6. Elza

    Amei este conteúdo gostaria de ler mais sobre o pré adoscente pois tenho um filho nesta idade e gostaria muito de participar do desenvolvimento dele em conjunto

  7. Elza

    Amei este conteúdo gostaria de ler mais sobre o pré adoscente pois tenho um filho nesta idade e gostaria muito de participar do desenvolvim
    ento dele em conjunto

    • Jocelyne

      Olá Elza! Obrigada pelo contato. Se você quiser tem também uma página no facebook do projeto: chama-se Se for mais pessoal você pode me escrever no e-mail: projeto.filhos@yahoo.com.br Abraço carinhoso! Jocelyne Forrat

  8. KARLA

    OTIMO…

  9. Roberta

    Gostei muito do que li ,Tenho passando momentos difíceis com meu filho de 14 anos as vezes fico me perguntando aonde foi que eu errei ,mais ler tudo isso abril minha mente, quero ser uma mãe melhor, mais compreensiva.Quero me relacionar melhor com meu filho tenho muito amor e carinho por ele.

  10. Anna clara

    Concordo com tudo isso

  11. Anna clara

    Eu adorei , concordo com tudo isso
    Tenho 11 anos

  12. Luzelandia Pereira

    Muito obrigada pelo texto mi ajudou muito.abriu minha mente não sabia lidar com essa situação,em relação Minha filha que tem 12 anos

  13. Shirlei

    Muito boa as informações sou mãe de um menino de 12 anos e foi de muito proveito pra mim. Parabéns pela matéria

  14. Andréa Gleice

    Muito bom esse artigo, me fez entender melho essa fase. Que na verdade muitas vezes é desconhecida, para nós pais. Obrigada.

  15. pedro

    n sabia q 12 a 14 anos era pre adolecente,pq na minha escola ja são considerados adolecentes.

  16. Ronaldo lopes

    Me ajudou muito .muito obrigado

  17. Isis Layne Pulceno

    Gostei de tudo que li, porém na prática acho mais difícil… Estou me entindo confusa e sem saber agir com minha filha de 12 anos, ela é muito carinhosa , mas faz algum tempo que eu e meu marido estamos notando seu jeito agressivo e debochado de flar com a gente em algumas situações . Já tentamos algumas formas e nada até agora adiantou, preciso de ajuda.

    • Isis Layne Pulceno

      corrigindo: Sentindo*, falar*

    • Jocelyne

      Cara Isis, sua preocupação é normal e mostra seu amor por ela. Lembre-se que aos 12 anos é a idade da puberdade e grandes mudanças físicas e hormonais acontecem e não é fácil passar por estas mudanças com apenas 12 anos. Esta é também a idade da autoafirmação e a turma na escola não deixa barato. Se ela costuma ser carinhosa e está um pouco agressiva é porque na cabecinha dela não é simples lidar com toda esta mudança. Não leve as agressões pelo lado pessoal porque ela ama vocês e precisa muito de apoio. Esteja disponível para ouvi-la quando ela quiser falar, mas não force a barra, pois já está bem difícil pra ela assim. Se os pais entram em conflito com os filhos nesta fase, eles vão se afastar e buscar conselho fora de casa que pode ser muito perigoso. Então muita paciência e disponibilidade. Esta fase tem altos e baixos e vai passar, ok? Abraço carinhoso, estou orando por vcs ! 🙂

  18. Marlon

    Tenho filho de doze anos e estou passando muitas dificuldades parece que eu estava vendo ele nessa materia so Deus para ajudar

    • Jocelyne

      Olá Marlon! Que tipo de dificuldades? Quer conversar sobre isso? Se preferir envie um e-mail particular no Abraço! 🙂

      • MARLON

        A MATERIA E MUITO BOA, MAS NA PRATICA E MUITO DIFICIL, SO DEUS PARA NOS AJUDAR, SE PRECISAR VOU RECORRER A VOCES, MUITO OBRIGADO, E AINDA MAIS AGORA QUE VOU SER PAI NOVAMENTE DE UMA MENINA QUE VAI SE CHAMAR NICOLLY, AGRADECO MUITO.

  19. Lucineide

    Ontem dia 09-05-17 meu filho fez 12 aninhos, essas dicas vão me ajudar muiiiito. Obrigada 😉

    • Jocelyne

      Parabéns ao garotão! Também tenho uma filha, a do meio, que faz aniversário dia 09/05. Abraço carinhoso 🙂

  20. carolinaplrodrigues

    Eu tenho uma filha de 12 anos, procuro sempre entender o lado dela, passa a maior parte do dia ao lado dela.
    Mas ultimamente ela anda me decepcionando muito, com mentiras, birras , rebeldia..
    Eu levo ela na psicológa mas parece não adiantar nada, ela sempre está reclamando de algo,não valoriza nada que tem.
    Ela foi pega colando na prova, e ela nega as coisas com uma facilidade e cinismo.
    Já tirei os eletrônicos da mão dela, mas ela não melhora, estou bem chateada não sei mais como agir.
    Tenho medo dessas mentiras dela continuarem e ser um grande problema no futuro.

    • Jocelyne

      Querida mãe, o que precisamos entender na fase da puberdade é que as mudanças no corpo e na mente da pré-adolescente são enormes e não são fáceis de absorver e lidar. Tentar passar mais tempo com ela ou proibir coisas não vai resolver o problema. O que resolve é uma conversa sincera, deixando de lado o sentimentalismo e reconhecendo as dificuldades pelas quais a sua filha está passando. A partir do momento em que ela perceber que está sendo compreendida, a situação vai mudar. Nesta fase o confronto não é favorável, mas o apoio muda tudo. Apoiar significa entender que não é fácil pra ela. A rebeldia, as mentiras e o colar na prova são consequências da falta de compreensão. A culpa também dificulta o relacionamento. Meu conselho é: “esvazie” a mente e comece um novo ponto. Sua conversa deve transmitir confiança tanto de dentro de você como a que tem por ela. Pare tudo e recomece tendo a certeza de que tudo vai se ajeitar. Compreenda e apoie a sua filha. Ouça o que ela tem pra dizer e pondere. Abraço carinhoso!

  21. Marta Helena de Souza Galvão

    Meu filho fará 14 anos na próxima semana…Percebo uma mudança enorme no físico e no comportamento…Tenho chorado muito diante de conflitos que estamos vivendo em família devido o comportamento dele…Me sinto totalmente despreparada para a nova fase…Gostei do texto…Muito esclarecedor…Vou falar para meu marido ler também.

  22. Tatiana

    Parabéns pelo lindo texto, muito esclarecedor.
    Estou passando por isso , tenho uma adolescente de 14 anos que acha que sabe de tudo e todas as outras características.

    Obrigada. !!

  23. Viviane

    Adorei esse texto me ajudou muito a compreender o que esta se passando com meu filho,eu busco conselhos porque é só nóis dois e esse texto me ajudou bastante obrigada

  24. Joseane Medeiros

    Estou com um adolescente de doze anos que para mim é difícil,pois ele está mudando no comportamento.comecou a mentir esconde notas e isto para mim é difícil porque não me dava trabalho na escola.O que fazer já conversei disciplinei mas está um pouco difícil entender

    • Jocelyne

      Querida mãe, procure não entrar em conflito com ele. Como ele antes não dava trabalho, como você diz, é uma fase que vai passar, ele está em desenvolvimento de sentimentos próprios, como autoaceitação, autoafirmação e auto estima. Perceba que ele agora não quer mais ser tratado como uma criança, então tente conversar sobre coisas que interessam a ele para refazer a conexão de sintonia. Fique tranquila e passe segurança e confiança pra ele porque você ainda é o apoio e o exemplo que ele tem para tomar as suas próprias decisões. Tenha paciência e converse bastante, mas sem confrontar, diga a ele quais são as suas preocupações e deixe ele se expressar. Abraço carinhoso !

  25. Rafaela

    Fantástico esse artigo, tenho um filho com 12 anos e vi ele escritinho no texto rsrs..li os comentários e todos nós pais passamos pelas mesmas dificuldades, assim como eles nós também sofremos com essas mudanças neles, pois não sabemos como lidar com elas de uma forma mas pasciênte!!! Abraço parabéns pelo assunto abordado, postem mais coisas nesse assunto pra nos ajudar ainda mais! Grande abraço!

  26. Evely Ismael dos Santos

    Estou com um adolescente na fase de que só quer ouvir RAP, ele é um bom menino, mas não sei como tratar isso..

    • Jocelyne

      Querida mãe, procure ver o contexto todo: você diz que ele é um bom menino e pelo que consigo entender você quer dizer que seu filho não ‘combina’ com este tipo de música, pelo o que você sonha pra ele estou certa? As mamães de hoje não estão muito familiarizadas com o RAP que é algo mais recente no Brasil, mas será que não é apenas um gênero musical da fase de adolescentes? Vela por esse lado e não entre em conflito com ele por causa disso para não reforçar a vontade. A maioria das pessoas muda de gênero musical conforme vai crescendo. Se ele ouve em casa é melhor do que se envolver com rebeldes, certo? Há muitos rappers geniais, que apenas querem falar rápido e bater recordes. Veja qual é o contexto e se for coisa da idade, relaxa que vai passar Abraço carinhoso ❤

  27. Nelson

    como me escrevo no seu blog?

  28. Simone

    Tenho um filho de 13 anos, e parecia que o texto descrevia ele. Muito bom, me ajudou muito, sabendo que esses comportamento é normal, fica mais fácil entendê-los.

  29. Cla

    Olá tenho uma filha de 14 anos, ela tá terrível não me obedece, não me respeita, tirou notas vermelha no boletim deixei ela sem celular ela tá insuportável, até me enfrentou nossa já não sei o que fazer me ajuda.

  30. Alberto

    Tenho um garoto de 14 anos,que gosto demais dele,as vezes ele se importa comigo ou
    Outras não,ele sabe que eu o amo de verdade,me deixa ser carinhoso com ele,mas às vezes parece que me esquece,o que devo fazer para ter ele ao meu lado me amando como eu o amo???

    • Alberto

      Tenho um garoto de 14 anos meu entiado que gosto demais dele,as vezes ele se importa comigo ou
      Outras não,ele sabe que eu o amo de verdade,me deixa ser carinhoso com ele,mas às vezes parece que me esquece,o que devo fazer para ter ele ao meu lado me amando como eu o amo???

      • Jocelyne

        Caro Alberto, que satisfação ver a sua dedicação. Quero que você fique tranquilo porque esta idade de 14 anos é uma idade onde os adolescentes vão querer ficar mais tempo com os amigos do que com a família porque estão em fase de se firmar socialmente. Nesta idade também, o adolescente não gosta muito de desmontrações de carinho, é normal e não tem nada a ver com você. O melhor a fazer é estar perto, sem pressionar e disponível se ele quiser perguntar alguma coisa. Agir naturalmente, deixando espaço para ele se aproximar quando estiver pronto. Pergunte se ele está bem e se precisa de algo. O amor e a relação entre vocês vai vir com o tempo, quando ele perceber que pode confiarr em você. Não force a barra para não afastá-lo mais ainda. E parabéns por querer ser amigo dele. Grande abraço!

  31. Alberto

    Tenho um garoto de 14 anos meu entiado que gosto demais dele,as vezes ele se importa comigo ou
    Outras não,ele sabe que eu o amo de verdade,me deixa ser carinhoso com ele,mas às vezes parece que me esquece,o que devo fazer para ter ele ao meu lado me amando como eu o amo???

  32. mauriceia

    Amei seu texto querida.Exatamente hoje procurei uma psicologa para tentar mudar o comportamento do meu filho de 12 anos.Ele faz xixi na cama pelo menos 2 x por semana.È rebelde e bastante agressivo.Ela me disse que pela idade ele deveria estar olhando e paquerando as meninas.Eu sinceramento não acho que pela idade ele deva estar nessa fase de paqueras ,ele brinca muito,o tempo todo e brincadeiras grosseiras de menino.Tenho mais duas meninas mais novas que ele. VocÊ acha que ele deveria estar mesmo nessa fase de namoros?

    • Jocelyne

      Querida mãe, eu concordo plenamente com você. A idade de 12 anos é ainda uma fase infantil, na transição à adolescência. A fase de namoro, embora erroneamente incentivada desde muito cedo, deveria ser cogitada apenas após os 16 ou até 18 anos. Aos 12 anos é uma idade pra brincar e se autoafirmar. O fazer xixi na cama é só uma insegurança e talvez uma necessidade maior de atenção. Converse com ele sobre assuntos que o interessam e sejam sadios, como por exemplo o que ele gostaria de fazer quando crescer. Não force a barra, deixe que ele se aproxime aos poucos. O fato de ter duas irmãs mais novas também desestruturou o epaço dele. Porém, podemos mostrar a ele o quanto ele é importante para as irmãs, pois além de ser mais velho, ele é homem e tem o poder de protegê-las. Sentindo-se importante, ele vai aos poucos passar esta fase bem difícil que é a puberdade. Demonstre o quanto o ama, sem forçar e sem exagerar. Nas brincadeiras grosseiras, desvie a atenção para algo que ele goste, sem repreender, porque a criança repete o comportamento que a gente dá atenção. Mães tem sabedoria para instalar a harmonia no lar e você com certeza tira isso de letra! Abraço carinhoso!

  33. Talita

    Meu filho tem 12 anos, está passando por muita mudanças no corpo principalmente. É um menino adorável, não é respondão, e não tem nada de rebelde. Mas é muito introspectivo, conversa pouco, não gosta de sair (só se for pra o cinema ou lanchar), adora tecnologia. Não sei muito o que faça pois, desde de pequeno ele é introspectivo mas agora , na adolescência, piorou muito.

    • Jocelyne

      Querida Talita, é através das pessoas introspectivas que o mundo consegue grandes avanços em todos os campos. Os introspecrivos são mais intelectuais e usam mais a inteligência. O criador dos computadores, grandes musicistas clássicos, cinetistas que criaram as vacinas que erradicaram inúmeras doenças, todos eles eram introspectivos, porque somente em seus mundos interiores eles podem desenvolver o propósito para o qual foram criados. Sinta-se muito feliz pelo comportamento do seu filho e ame-o mais ainda do que eu sei que você o ama, mas ame do jeito que ele é, porque assim você estará cooperando para o desenvolvimento do grande potencial que ele tem. Prefira um filho introspectivo do que o rebelde. Seu filho, pela sua descrição, é maravilhosos, e muitas mães gostariam de ter um filho como o seu. Aos poucos, conversando com ele e permitindo que ele fale abertamente com você, você verá a mente brilhante que ele tem. Não force, não imponha e não cobre nada. Apenas observe e esteja presente na vida dele demonstrando o seu imenso amor e curtindo uma fase que passa rápido. Talvez você Talita, seja uma pessoa comunicativa e cheia de energia, mas, se for o caso, permita que o seu filho seja diferente. Permita que o seu filho seja um futuro grande gênio da história. Abraço carinhoso aos dois ! 🙂

  34. rui

    Jocelyne Bom dia. Começo por dizer que suas explicações são de uma ajuda tremenda. Obrigada. Por favor eu gostaria de ver respondida se possivel a uma questão sobre meu filho de 12 anos. Ele desde bem pequenino poe um peluche entre as pernas todas as noites e se autoestimula seu pénis. Nós nunca pensamos que houvesse problema, mas agora com 12 anos ainda continua. Será normal? Ou será melhor eu e a minha esposa dar a atender que ja vai sendo hora de largar o peluche. E isso tambem ja define sua orientação sexual para hetero.? Ou nao tem a ver? Obrigado

    • Jocelyne

      Caro amigo, eu devo agradecer porque é sempre um grande prazer ver um pai e uma mãe preocupados com o bem estar de seus filhos. Analisando a sua pergunta, me vem à mente o fato de que a criança ou pré-adolescente como chamamos aos 12 anos, repete o comportamento que a gente dá atenção. Se vcs começarem a dar ênfase ao peluche, é bem possível que ele leve mais tempo para largar, porque assim ele está recebendo a atenção de vocês. A fase da puberdade nao é fácil, é cheia de complexas confusões na alma do pequeno.
      Uma aproximação gradual emocional frisando outros assuntos seria um meio de desviar a atenção dele e fazê-lo se interessar por outras coisas. Vejam quais são seus interesses intelectual e literário, por exmplo. Passar um tempo com o filho num jogo de xadrez ou damas ou ainda algo que lhe desperte a atenção, um livro sobre um assunto que ele gosta, fará com que ele se sinta amado e seguro. Mas não se preocupem com a sexuaiidade nesta idade, ele ainda é criança, saindo da infancia rumo a adolscencia. Se o assunto não for espelculado despertará naturalmente na idade certa. Quanto mais reforçamos um asunto mais ele vem a tona.
      Passem ótimos momentos com seu filho, mantendo a harmonia de família e procurando inluir assuntos que interessam a ele. Ele precisa se expressar. Não levem a sério tudo o que ele disser porque ele esta entrando na fase deliciosa de dar muitas risadas achando graça em tudo. Aproveitem esta fase para descompressar junto com ele!
      Abraço carinhoso !

      • rui

        Muito agradecido Jocelyne. Outra situação que me está a incomodar um pouco e á minha esposa igualmente, é o facto tambem de o meu filho por ser um garoto muito doce, muito bem educado, ele nao se consegue juntar aos meninos da idade dele por serem mais rebeldes e estarem sempre com a bola no pé nos intervalos, coisa que ele nao gosta. De futebol. Então ele se junta ás meninas por terem conversas um pouco mais adultas e com elas ele pode brincar ao que ele gosta que é o jogo da apanhada, correr… os videos no celular sendo que nenhuma delas (brincadeiras) são de teor feminino. Ele sabe distinguir brincadeira de menino e de menina. Ele se junta ás meninas e a alguns rapazes por nao jogar gostar de bola e de brincadeiras “parvas”. Pergunto então: sendo ele uma criança tão doce e sensivel, poderá acontecer adquirir os maneirismos das raparigas visto que se junta a elas? Ou não tem nada a ver. Sendo ele bem rapaz, isso pode acontecer mesmo assim? Obrigado (ultima questão prometo e obrigado uma vez mais, é mesmo pelo bem dele eu saber isso, para nao sofrer)

      • Jocelyne

        É um grande prazer conversar contigo, escreva o quanto quiser. O que vc descreve de seu filho, inclusive o fato de gostar de estar com meninas, me lembra exatamente o comportamento da minha filha caçula na mema idade uns anos atras. Doce, ela se recusava a ser como as “populares” e preferia ficar conversando com os meninos. Hoje ela tem 18 anos e é tudo o que se espera de melhor em uma mulher. Não gostar de futebol ou não ser ‘rebelde’ para um menino significa que ele vai ser alguém mais pro lado intelectual, como um grande mestre ou cientista ou descobridor de grandes feitos. Acredite no potencial que Deus colocou em seu filho e nao queira enquadrá-lo num ‘padrão’ imposto pela sociedade atual. Seu filho, dependendo do apoio e incentivo que tiver de vocês, será muito bem sucedido e ultrapassará as suas expectativas. Vocês precisam acreditar nele como um ser exclusivo sem igual. Estejam sempre junto, sempre demonstrando que ele é amado, sem sufocar. Observem para saber o que ele gosta mais e motivem com livros sobre o assunto, que vai mudar muito ainda até ele descobrir o que quer fazer. Conversem, sem pressionar, mostrando o interesse pelas coisas que ele gosta A palavra é criadora: o que vocês disserem que o seu filho vai ser, ele vai ser. Portanto, muitas palavras de grandeza para que ele acredite que ele pode ser grande! Abraço carinhoso!

  35. rui

    Obrigado Jocelyne. Mas tambem gostaria de saber, e é tambem essa a minha duvida….se porventura pelo facto de estar com meninas, pode adquirir os “maneirismos” delas? Ou isso nao tem a ver. Obrigado e bem haja. Rui

    • Jocelyne

      Não tem a ver nesta idade, ainda são crianças e querem se conhecer e fazer amigos dos dois sexos. Contanto, este ou qualquer outro comportamento pode acontecer quando os adultos instigam tal comportamento, ou seja, comentários do tipo “você só anda com meninas, vai ficar igual a elas”, por exemplo. Os filhos são ligados emocionalmente com os pais e os pensamentos que temos sobre eles podem influenciar o comportamento deles. Além disso, a palavra é criadora: o que os pais dizem que os seus filhos são, eles vão ser. Um comportamento que é reforçado torna-se possível, mas o comportamento ao qual não se dá atenção passará.

  36. rui

    Estou muito agradecido a voce. Bem haja.

    • Jocelyne

      Obrigada Rui, foi um prazer.. Grande felicidade a toda a família.

  37. Ana Paula Carvalho

    Adorei a materia, tenho um filho de 12 anos e tenho passado situações bastante desgastante com ele. Vive no mundo da lua e só faz as coisas quando convêm a ele. E agora para piorar diante dessa situação quer ir morar com o pai. Estou destruida e nao faço outra coisa alem de chorar.

    • Jocelyne

      Ana querida, o que você descreve do seu filho é bem característico da idade. A puberdade e a necessidade de autoafirmação são complicadas para quem tem apenas 12 anos. Procure observar as suas atitudes com ele e veja o que você consegue fazer para melhorar o relacionamento entre vocês. Não faça cobranças demais e não peça a ele coisas que ele ainda não tem maturidade para entender. Converse sobre assuntos que ele gosta e sobre os amigos dele, se puder deixe-o convidar um amigo pra brincar em casa ou fazer lição juntos, então ele vai perceber que você se importa com o que ele gosta e vai apreciar muito o espaço que você está dando a ele. Se ele se sentir bem em casa nao vai querer ir pra casa do pai. Mostre seu amor maduro e seu equilibrio emocional, crianças precisam disso para se sentirem seguras. Se quiser, escreva no meu email: jocelyneforrat@gmail.com. Abraço carinhoso 🙂

  38. Juliana

    Adorei a matéria tenho um filho de 12 anos, carinhoso, fala alto, ama futebol e nao gosta muito de estudar, tendo pouca responsabilidade com as coisas da escola.Ele refere que tem um queixo feio, fala que é burro. Eu sempre afirmo que ele é lindo e inteligente. Peço a ele que afirme Vitória na sua vida. As vezes deixo ele sem contato com a Internet jogos como castigo por ir mal na escola. Vc poderia me ajudar??As vezes ele mente para se beneficiar com medo de repressão. ficar sem jogar…..Agradeço sua atenção.

    • Jocelyne

      Querida Juliana, amo ver o zelo com o qual educa seu filho. Você pode perceber que no seu próprio texto você tem as respostas de como melhor se entender com ele. A idade de 12 a 14 anos é a idade da autoafirmação, seu filho está descobrindo quem ele é e escolhendo quem ele quer se tornar, muita paciência para não complicar mais ainda esta fase onde chega a puberdade e que já é bastante difícil para ele (são muitas mudanças no corpo, alma e espírito).
      quanto aos estudos particularmente, precisamos nos lembrar de que muitas coisas ensinadas na ecola não servirão para nada no decorrer da vida, portanto não force demais. Ele vai ter notas excelentes naquilo que mais gosta e que vão mostrar as suas aptidões e o que ele vai ser no futuro. Nas outras matérias a média para passar é suficiente, já que não lhe servirão para nada. Seu filho está crescendo, não é mais uma criança e o relacionamento entre vocês dois vai fazer muita diferença na vida dele agora. Castigo não funciona mais, o que ele prefere é o diálogo. Converse, pondere, chegue ao acordo com ele. Você vai se surpreender com o que ele tem guardado dentro dele, se você deixar ele falar. Abraço carinhoso aos dois ❤

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s