Mãe: Uma Referencia!

MÃE: UMA REFERÊNCIA

 Mãe sábia ou mãe tola? Como somos? Vimos no capítulo anterior que a mãe ou o adulto que fica mais tempo com a criança é uma referência, o apoio, o exemplo.

 Provérbios 14.1 diz assim: ”Toda mulher sábia edifica a sua casa, mas a tola a derruba com as próprias mãos”.

 Para uma criança o que vale é o que a mãe fala. Porque a mãe é a pessoa mais importante da vida dela. Então se a mãe vive dizendo que seu filho é terrível, que é mal criado, com certeza é isso que ele vai ser! Não devemos falar mal dos filhos e muito menos quando ele estiver por perto. Se eles fazem coisas erradas é porque não estamos dando a devida atenção, é porque não estamos tendo paciência.

 Nos dias de hoje,chamados ‘tempos modernos em que a mãe precisa trabalhar também para ajudar no sustento da casa ou então quando cria sozinha seus filhos, a vida não é fácil. Se não houver um relacionamento com DEUS vai existir correria, estresse e cansaço. Tem o trabalho, mas também tem a casa, o marido os filhos, a comida, a faxina, tudo nas costas da mãe!

 JESUS disse “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei”. Mateus 11.28.

 Cinco minutos com nossos filhos vão nos fazer ganhar muito mais, primeiro pela satisfação de estar ensinando algo a eles e depois porque eles vão ficar felizes porque receberam atenção e vão brincar sossegados. Pra certas mães é muito fácil: basta dizer “vá brincar lá fora e me deixa em paz!”. Muito fácil. Isso se chama: fugir de suas responsabilidades. Pra quem chegou a este ponto, está na hora de parar e analisar a situação. A cena que descrevi da mãe que trabalha fora, é uma situação que deve ser modificada. Todos os membros da família devem colaborar nas tarefas da casa, no mínimo evitando dar mais trabalho à mãe. Mais uma vez uma boa conversa vai resolver e a ajuda de DEUS Nosso PAI é indispensável.

 A mulher tem dentro de si um potencial que ela desconhece e nem imagina o tanto de coisa que pode fazer se utilizar este potencial. A força e a coragem para mudar uma situação nós já dissemos que se consegue no relacionamento com o Pai.

Mas a vontade de mudar é da própria pessoa.

 Buscar a DEUS em Sua infinita misericórdia e pedir sabedoria para edificar o lar, para descobrir estratégias para envolver todos da família e delegar tarefas e assim poder aliviar o fardo, pois cuidar de uma casa, de marido e filhos quando se trabalha fora para ajudar nas despesas, não é nada fácil. Mas é importante tomar esta decisão, pois de nada vale querer a mulher fazer tudo sozinha e chegar em um dia de descanso e estar exausta e ainda por cima ainda enxergar e se culpar por tudo o que ainda não foi feito e que vai ficar acumulado, pois não tem condições de pagar uma faxineira, tem um marido que passa o tempo que está em casa vendo televisão, comendo ou dormindo e filhos que não param de brigar ou fazer bagunça! Ninguém quer uma vida assim! Isso pode ser mudado, mamãe! Se nós permitimos, DEUS muda toda esta situação. É só pedir pra Ele e confiar que Ele vai fazer.

A criança que pode tudo quando ainda é pequena, acha que pode tudo quando cresce. E quando o adolescente enfrenta o mundo aí fora e descobre que no mundo não há mamães que deixam fazer tudo o que tem vontade, ele sofre e não entende porque sofre.

 CRIANÇA MIMADA

=

CRIANÇA BIRRENTA

=

CRIANÇA SEM PARÂMETROS

=

CRIANÇA PERDIDA

Criança que não pode fazer nada quando pequena, cresce achando que não pode fazer nada, que nada é pra ele, tem medo de tomar iniciativas e decisões, medo de se lançar em desafios, medo de levar um “NÃO”.

 CRIANÇA REPRIMIDA

=

CRIANÇA MEDROSA

=

CRIANÇA INDECISA

=

CRIANÇA INFELIZ!

A criança desde a concepção é um ser indefeso, completamente dependente de um adulto para sobreviver e para aprender o que é certo e o que é errado.

 Os pais que amam verdadeiramente seus filhos fazem uma autoanálise para interpretar as atitudes que tomam com seus filhos e para entender se estas atitudes são realmente as melhores que eles podem oferecer aos pequenos. Fazer uma criança feliz não é fazer tudo o que ela quer, mas ensinar conforme os valores que acreditam: o que é certo fazer e a hora certa de fazer. Se estiver fazendo algo errado, ensinar que é errado e o que é errado não se deve fazer de modo algum. Se seu filho faz coisas erradas ele pode estar apenas querendo chamar a sua atenção.

 Cada faixa etária da criança tem um desenvolvimento diferente e é preciso conhecê-lo para saber em que fase determinadas regras precisam ser ensinadas. Por exemplo: um bebê que dá tapas na cara da mãe e balbucia algumas sílabas não está ‘batendo na mãe’, ele está fazendo carinho, mas ainda não aprendeu a controlar os músculos do braço para ser mais delicado.

 Devemos aprender como sente e pensa um filho antes de tomar atitudes que possam prejudicá-lo por toda a vida.

 Amar um filho é respeitá-lo!

 Ensinar o que é certo e ensinar o que é errado e por que é errado, dar sempre uma explicação, mesmo se ele não entender, ele sabe que tem um motivo para não poder fazer o que ele está pedindo. E logo após explicar porque não pode, podemos dar outra idéia para desviar a atenção dele para outro assunto.

A criança precisa de parâmetros para crescer saudável, para que sua cabecinha não fique confusa. Ela precisa de alguém que lhe diga o que fazer e quando fazer, que tenha horários certos para comer, brincar, estudar e dormir; precisa também de alguém que lhe ensine o que é errado e o que é perigoso e não esperar que ela descubra isto por conta própria.

 A criança confia na pessoa que cuida dela, ela é seu ponto de referência. A criança precisa de limites, ou seja, aprender até onde pode ir sem perturbar seu próximo, aprendendo a respeitar o espaço de cada um para poder também ser respeitado.

 Imagine alguém que está de olhos vendados e caminha em direção a um precipício: sempre vai ter medo de dar o próximo passo porque pode cair e ninguém quer cair, sabemos que cair é ruim e não gostamos do que faz mal.

 É assim que um filho se sente quando não tem limites e não sabe o que pode e o que não pode fazer: ele vai estar como que de olhos vendados porque a memória dele não encontra nenhuma informação sobre a situação que ele não conhece e ele não sabe como agir, então fica perdido.

 Devemos ensinar aos filhos o certo e o errado para que tenham um grande “arquivo” na memória que possam consultar quando estiverem em dúvida. Educar assim é amar!

 1 João 4.8: “Quem não ama, não conhece a DEUS, porque DEUS é amor”

Leave a response and help improve reader response. All your responses matter, so say whatever you want. But please refrain from spamming and shameless plugs, as well as excessive use of vulgar language.

2 Responses to “Mãe: Uma Referencia!”

  1. Carla

    Parabéns. Muito legal o seu post. Nao fui criado por uma boa mãe e sei que isso me fez falta.

  2. Sophia Keiler

    Eu tenho 9 anos estou tentando dês de agora alerta-la sobre isso mas ela não quer me ouvir… Tirei algumas fotos que vou mostrá-las depois. Foi muito útil pra mim!!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s